03_12_torino

A Tragédia de Superga

Membros do extinto FC Torinese e dissidentes da Juventus fundaram em 3 de dezembro de 1906, na cidade de Turim, o Torino Football Club que completa nessa terça-feira 107 anos de existência.

Em 1945, findada a II Guerra Mundial, o Campeonato Italiano voltou a ser disputado após três anos de paralisação. Na última edição (1942/43), o Torino havia conquistado o Calcio, seu segundo título da competição. Mas poucos imaginavam que ali, nascia uma hegemonia no futebol do país.

O Torino foi campeão italiano em 1945/46, 1946/47, 1947/48 e caminhava para o pentacampeonato na temporada 1948/49. O grande momento rendeu ao clube a alcunha de “Grande Torino”.

Só que uma viagem de volta à Itália interrompeu a saga vitoriosa do clube de Turim. No dia 4 de maio de 1949, o Torino retornava de um amistoso contra o Benfica em Portugal quando o avião que trazia a delegação chocou-se contra uma das torres da Basílica de Superga, localizada nos arredores de Turim, culminando com a morte de 18 jogadores – 31 pessoas no total. O episódio ficou conhecido como o “desastre do Monte Superga” ou “Tragédia de Superga”.

A Basílica de Superga

A Basílica de Superga

A quatro rodadas para o final do Campeonato Italiano, o Torino, líder isolado, foi declarado campeão da Liga. Nas quatro partidas restantes, o clube se viu obrigado a escalar atletas da base e em um ato de solidariedade, os adversários também jogaram com os juvenis.

O acidente chocou o país. Mais de 500 mil pessoas acompanharam o cortejo fúnebre da equipe que era a base da seleção italiana para a Copa do Mundo de 1950. Com um time renovado, a Itália participou daquele mundial, mas traumatizada pela Tragédia de Superga, a delegação viajou de navio para o Brasil.

Desde então, o Torino nunca mais voltou a ser o Grande Torino. Venceu apenas mais uma vez o Campeonato Italiano, na temporada 1975/76. Também foi campeão da Coppa Italia em 1967/68, 1970/71 e 1992/93. Mas nem de longe, fez lembrar aquele time dos anos 40.

Categorias: Clubes / Fora das 4 linhasPágina inicial

Gabriel Godoy

Jornalista; frustrou-se na tentativa de ser um jogador profissional; peladeiro; apaixonado por futebol de campo, de rua, de botão, de vídeo-game...

Veja todos os posts de

Veja também: