img_fabio_cruzeiro_NOVO

Goleiro, a cara de um clube

No último sábado, Fábio chegou a 500 jogos pelo Cruzeiro. Após passagem discreta em 2000, o goleiro retornou em 2005 para se eternizar como um dos grandes ídolos da torcida. É o sétimo jogador e o segundo goleiro com mais partidas pela Raposa – atrás apenas de Raul, com 557.

Fábio é mais um exemplo de como o país do futebol se rendeu aos donos da camisa 1. Em tempos em que um jogador brasileiro se destaca e logo vai para o futebol do exterior, casos como o do goleiro cruzeirense têm se tornado repetitivos.

Rogério Ceni, capitão do São Paulo, comemora título do Mundial de Clubes 2005.

Rogério Ceni, capitão do São Paulo, comemora título do Mundial de Clubes 2005.

O maior exemplo disso é Rogério Ceni. Com mais de 1.000 jogos e 100 gols pelo São Paulo, o goleiro-artilheiro já pode ser considerado o maior ídolo da história do clube. Promovido ao elenco profissional em 1992, é titular absoluto desde a saída de Zetti (com mais de 400 jogos pelo Tricolor) para o Santos em 1996.

Contratado pelo Palmeiras em 1992, Marcos foi reserva até 1999. Uma contusão de Velloso na Libertadores daquele ano, abriu caminho para que ele assumisse a titularidade. Após 532 jogos pelo clube, pendurou as luvas e se tornou embaixador do Verdão. Ao contrário da maioria dos goleiros, São Marcos, ficou consagrado com a camisa 12.

A tradicional camisa 12 de São Marcos.

A tradicional camisa 12 de São Marcos.

 

Harlei foi revelado pelo Cruzeiro no início dos anos 90. Passou pelo Comercial – RP e pelo Vila Nova e em 1999 se transferiu para o rival Goiás. O goleiro se tornou o principal líder esmeraldino nas conquistas de sete Campeonatos Goianos, três Copas Centro-Oeste e dois Campeonatos Brasileiros da Série B. Já são mais de 13 anos de casa e 800 jogos pelo clube, o recordista de toda a história do Alviverde.

Veja outros goleiros que disputam o Brasileirão – Série A 2013 e que tem mais de 100 jogos por seus atuais clubes (dados de 08/07/2013).

Jefferson – Botafogo – 299 jogos
Vanderlei – Coritiba – 215 jogos
Rafael – Santos – 194 jogos (em negociação com o futebol italiano)
Muriel – Internacional – 139 jogos
Felipe – Flamengo – 132 jogos

Categorias: Campeonatos / ClubesPágina inicial

Gabriel Godoy

Jornalista; frustrou-se na tentativa de ser um jogador profissional; peladeiro; apaixonado por futebol de campo, de rua, de botão, de vídeo-game...

Veja todos os posts de

Veja também: