_capa chave da morte

A Chave da Morte na Copa da Rússia

As oitavas vão começar! No mata-mata o negócio é diferente, fica muito mais emocionante, ainda mais com a novidade dessa Copa: a “Chave da Morte”!

Na época do sorteio dos Grupos da Copa do Mundo houve uma unanimidade que havia faltado um Grupo da Morte, aquela combinação de quatro seleções importantes onde iríamos lamentar a ausência de duas delas. Mesmo agora, com a Alemanha desclassificada, não podemos dizer que seus rivais foram assustadores.

Os dois confrontos mais chamativos das oitavas de final serão Portugal x Uruguai e França x Argentina. O primeiro confronto era até esperado, já que Portugal tinha a Espanha em seu grupo e, mesmo com Cristiano Ronaldo jogando muito, seria normal uma segunda posição para os lusitanos.

Entretanto, França x Argentina, o duelo entre a seleção repleta de jogadores “Top-Class” dos europeus contra Lionel Messi e os atuais vice-campeões mundiais, não estava previsto para acontecer nas oitavas. Os argentinos fizeram o favor de fazer uma fase de grupos horrorosa, se classificando apenas no minuto 87 com um gol de direita em um lindo chute do zagueiro canhoto Marcos Rojo. Com a segunda colocação a seleção argentina veio para o lado da chave com as seleções mais tradicionais e até favoritas. Para completar os vencedores desses dois confrontos se enfrentarão nas quartas. Ou seja, não tem folga mesmo.

O Brasil fez seu papel ficando em primeiro no Grupo E, mesmo não conseguindo apresentar um futebol acima da média e pouco consistente. Mesmo assim, a seleção canarinho entrou no lugar esperado, em primeiro. Já a Bélgica venceu as três partidas do Grupo G e ganhou moral, até mesmo entre as pessoas que brincavam com o clássico jargão: “a excelente geração belga!” que até o momento, nunca venceu uma Copa do Mundo.

Se Brasil e Bélgica foram “favorecidos” no chaveamento das oitavas, pegando seleções claramente inferiores: México e Japão, respectivamente, logo em seguida começará a série de “pedreiras”: ambas as seleções se enfrentarão caso passem pelos adversários das oitavas. E, para completar, enfrentarão nas semifinais o sobrevivente de Portugal, Uruguai, França e Argentina!

E poderia ter sido pior se a Alemanha tivesse passado em segundo! Bastava uma vitória simples contra a Coreia do Sul na terceira partida da fase de grupos. Com isso, a atual tetracampeã cairia também na “chave da morte”, enfrentando o Brasil logo de cara nas oitavas.

Resumindo: dos seis favoritos para ganhar a Copa do Mundo, para a maioria das casas de apostas antes do início do Torneio – excluindo a Alemanha já eliminada – quatro estão do mesmo lado no chaveamento até a grande final.

Um gigante beneficiado!

Uma seleção se beneficiou muito do vexame da Alemanha e da Argentina ter se classificado em segundo em seu grupo: a Espanha, que ficou em primeiro pelos critérios de desempate, depois de quase perder sua classificação para o Marrocos no terceiro jogo.

A seleção campeã do mundo em 2010 tem um caminho até a final que parece um “passeio no parque”, comparado com a guerra de trincheiras que o outro lado terá que encarar. A Fúria enfrenta a Rússia nas oitavas, que apesar de ter vencido muito bem Arábia Saudita e Egito, caiu na real na derrota para o Uruguai por 3×0. Caso vença os anfitriões, pode enfrentar a Croácia, que jogou muito bem a fase de grupos, mas não tem o poder de fogo dos espanhóis. Na sequência, pode enfrentar Colômbia ou Inglaterra nas semifinais. Muito mais fácil, não é mesmo?

Com uma seleção onde talento não falta, mas ainda precisando mostrar mais em campo, a Espanha pode chegar à final da Copa do Mundo sem ter enfrentado nenhum campeão mundial, algo praticamente impossível de se imaginar. Diante de tudo isso temos algo interessante para pensar: o que é melhor? Ter um caminho facilitado para a final ou vencer pedreira atrás de pedreira até chegar à grande decisão com a moral lá em cima?

A resposta só no dia 15 de julho! Mas, provavelmente, a Espanha estará lá.

 

creative commons

 

 

Categorias: Colaboradores / Futebol / Opinião / SeleçõesPágina inicial

Niccolas Paganini

Um eterno apaixonado por futebol. E quem não é?

Colaborador do FUTBOX | Seja um blogueiro do FUTBOX.

Veja também: