curiosidades_2002

Top 5 Curiosidades da Copa do Mundo de 2002

Desbravando o Oriente. Vexame dos “Bleus”. Apito amigo. 11 segundos. Volta por cima fenomenal.

Veja o Top 5 Curiosidades da Copa do Mundo de 2002. Visite o Blog do Futbox e conheça as histórias das Copas anteriores.

 

1) Candidatura única

A realização de uma Copa do Mundo na Ásia era um sonho antigo do povo e dos dirigentes locais. A FIFA via com bons olhos a possibilidade, já que o futebol despertava cada vez mais a atenção do grande público e quase metade da população do planeta residia no continente. Japão e Coreia do Sul eram os principais concorrentes a sediarem o Mundial.

Para não desagradar a nenhum dos lados, a FIFA sugeriu que os países apresentassem uma candidatura única, o que foi oficializado em 1996. Japoneses e sul-coreanos passaram a se organizar para receber o evento e não mediram esforços para a construção de estádios modernos e para garantir boa infraestrutura a delegações, jornalistas e torcedores.

 

2) Zebra

A grande zebra da primeira fase foi a eliminação da França, que se despediu da Coreia do Sul com duas derrotas, um empate e nenhum gol marcado, a pior campanha de um detentor de título na história das Copas. Outra eliminação precoce foi da Argentina, que ficou atrás de Suécia e Inglaterra no Grupo F.

 

3) Apito amigo

A semifinalista Coreia do Sul foi a grande surpresa da Copa de 2002. Mas para chegar até lá, os anfitriões contaram com a colaboração da arbitragem.

Morte súbita, oitavas de final. Coreia do Sul x Itália. Totti reclama de pênalti (lance duvidoso) e é expulso. Depois, o atacante Tommasi driblou o goleiro Woon-Jae e marcou o gol que seria da classificação da Itália. Porém, o juiz equatoriano Byron Moreno anulou a jogada e assinalou impedimento que não existiu. Jung-Hwan marcaria, posteriormente, o gol da classificação da seleção da casa.

Nas quartas-de-final, a Coreia foi novamente beneficiada. O juiz egípcio Gamal Ghandour anulou dois gols legítimos da Espanha, um no 1º tempo e outro na morte súbita. Em seguida, os asiáticos avançaram nos pênaltis para a indignação dos espanhóis.

 

4) Gol-relâmpago

Na decisão do 3º lugar, o turco Hakan Sükür fez o gol mais rápido de todos os tempos de mundiais, ao abrir o marcador contra a Coreia do Sul aos 11 segundos de jogo, que terminaria 3×2 em favor dos europeus.

 

5) Ronaldo Fenômeno

Após duas graves lesões no joelho direito em 1999 e 2000, Ronaldo retornava aos gramados em 2001, quando atuou em apenas oito partidas pela Internazionale. O técnico Héctor Cúper chegou a reclamar publicamente das condições físicas do jogador. Para muitos, Ronaldo tinha que pendurar as chuteiras.

Mas apesar de poucos jogos pelo clube italiano, Felipão bancou o craque na Copa do Mundo do Japão e Coreia do Sul. Ronaldo foi o artilheiro do torneio com oito gols (dois deles na final) e novamente foi campeão do mundo com a seleção brasileira. Em 2002, mais uma vez, o Fenômeno calava os críticos de plantão.

 

Fonte: O mundo das Copas, de Lycio Vellozo Ribas

Categorias: SeleçõesPágina inicial

Gabriel Godoy

Jornalista; frustrou-se na tentativa de ser um jogador profissional; peladeiro; apaixonado por futebol de campo, de rua, de botão, de vídeo-game...

Veja todos os posts de

Veja também:

  • Abertura Mundialito

    MUNDIALITO. A COPA QUE A FIFA ESCONDEU

    Se pesquisarmos no site da FIFA “Copa de Oro 1980” ou “Mundialito 1980” não encontraremos nenhuma informação. Nada. Por quê?

  • Group F Japan v Brazil - World Cup 2006

    TEXTOS ANTIGOS DE UMA VELHA COPA

    Muitas vezes nos deparamos com textos, fotos ou objetos antigos que estavam esquecidos em nossa memória, mas tiveram um papel importante em nossas vidas.

  • Germany v Spain: 2010 FIFA World Cup - Semi Final

    A seleção da Alemanha

    Nunca subestime a Alemanha. Superação, raça e força, características dessa seleção que também possui uma técnica apurada para jogar futebol.