curiosidades_2010

Top 5 Curiosidades da Copa do Mundo de 2010

Contrariando prognósticos. Ásia ou Oceania? Suíça e Ronaldo. Hegemonia europeia. E a cabeçada de Zizou.

Confira o Top 5 Curiosidades da Copa do Mundo de 2010. Visite o Blog do Futbox e conheça as histórias de todas as outras 18 edições de Copas do Mundo.

 

1) Promessa

No final do século XX, a FIFA já insinuava para um possível revezamento entre os continentes (não apenas Europa e América) que iriam receber as próximas edições de Copas do Mundo. Ao que tudo indicava, o Mundial de 2006 seria disputado na África, que tinha como candidato mais forte a África do Sul. No entanto, em 2000, a entidade anunciou a Alemanha como sede de 2006.

Para minimizar as reclamações, Joseph Blatter, presidente da FIFA, assegurou que a edição seguinte seria no continente africano. Promessa cumprida em 2004. A África do Sul do Sul concorreria com Marrocos, Egito e Líbia, mas conquistaria o direito de receber o Mundial de 2010. Apesar do receio em realizar o torneio em um país com índices de desigualdade e violência alarmantes e infraestrutura aquém de outras nações, as ocorrências durante a Copa do Mundo foram raras.

 

2) Austrália e a barreira geográfica

Pela primeira vez na história, as Eliminatórias contaram com a participação de 200 seleções. 31 vagas estavam em jogo, já que apenas a anfitriã tinha presença garantida. A Austrália desfiliou-se da OFC (Confederação de Futebol da Oceania) e disputou as Eliminatórias Asiáticas. Apenas um país estrearia em mundiais: a Eslováquia.

 

3) Finalistas e anfitrião em baixa

As zebras sempre rondam a Copa do Mundos. Em 2010, as maiores surpresas foram as eliminações de Itália e França, finalistas do último mundial. Ambas as seleções voltaram para casa sem vencer um jogo sequer. Em 3º lugar no seu grupo, a África do Sul tornou-se a única anfitriã a ser eliminada na primeira fase do torneio.

 

4) Mão santa

Uruguai e Gana se encontraram nas quartas-de-final. A Celeste em busca de voltar a semi, o que não acontecia desde o Mundial de 70. Os ganeses poderiam alcançar uma façanha ainda maior: ser a 1ª seleção africana a figurar em uma semifinal de Copa do Mundo.

No tempo normal, 1×1. A partida encaminhava para a disputa de pênaltis, quando no último lance da prorrogação, Luis Suárez salvou um gol certo de Gana com a mão. O árbitro português Benquerenca expulsou o atacante e assinalou o pênalti. Mas o ídolo ganês Gyan desperdiçou a oportunidade ao chutar a bola no travessão.

Nas penalidades, brilhou a estrela do goleiro uruguaio Muslera que defendeu duas cobranças. Loco Abreu fechou a série com sua tradicional cavadinha: 4×2 e a Celeste, depois de 40 anos, de volta à semi.

 

5) Fúria ou Laranja Mecânica?

A decisão da Copa de 2010 colocou frente a frente duas seleções que nunca foram campeãs mundiais: Espanha, estreante em finais, e Holanda, finalista em 1974 e 1978.

Após 0×0 no tempo normal, a Fúria conquistou seu 1º título de Copas do Mundo, com um gol de Iniesta no prorrogação. A Holanda amargaria seu 3º vice na história das Copas.

Confira o gol de Iniesta em animação stop motion.

 

Fonte: O mundo das Copas, de Lycio Vellozo Ribas

Categorias: SeleçõesPágina inicial

Gabriel Godoy

Jornalista; frustrou-se na tentativa de ser um jogador profissional; peladeiro; apaixonado por futebol de campo, de rua, de botão, de vídeo-game...

Veja todos os posts de

Veja também:

  • chamada-posters

    Rebranding WorldCup Posters: 1930 – 2018

    Apresentamos o Projeto Rebranding WorldCup Posters: 1930 - 2018. Agora com toda a revitalização visual dos cartazes oficiais das Copas do Mundo comentada! Saiba os detalhes gráficos e conceituais por trás de cada poster.

  • Group F Japan v Brazil - World Cup 2006

    TEXTOS ANTIGOS DE UMA VELHA COPA

    Muitas vezes nos deparamos com textos, fotos ou objetos antigos que estavam esquecidos em nossa memória, mas tiveram um papel importante em nossas vidas.

  • calendario brasileiro do futebol

    NOVO CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO

    Relacionar o patrocinador ao clube de uma forma inteligente e que faça sentido para o torcedor possibilitará a manutenção desse ecosistema, sustentado por um calendário que se preocupe com a sua principal força de trabalho.